segunda-feira, 8 de junho de 2009

Tudo o que eu vi...

I saw the best minds of my generation destroyed by
madness, starving hysterical naked,
dragging themselves through the negro streets at dawn
looking for an angry fix...










Não... tudo o que vi foi apenas pequenos remoinhos de loucura, arrastando as mentes das pessoas que amo até ao limiar da loucura...

Tudo o que vi foi sermos afectados... por coisas banais... e nunca parar.

2 comentários:

Flávio Neto disse...

O grande Allen Ginsberg já o tinha dito....
Obrigado por me lembrares da verdade, de onde estamos e onde iremos, sempre compelidos, sempre possessos pela sede de sementes de destruição, como tantos antes, tantos até melhores que nós
Obrigado por me lembrares do poema da minha vida (pseudo) adulta.
"eli eli lamma lamma sabachthani"

Lovernios, o Raposo disse...

A vida tem o dom de nos abanar como se fossemos uma casca de nóz nos mares das tormentas...