terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Justo

Sentado num banco de jardim olha sem parar. Sentado no meio de um jardim onde as pessoas julgam sem parar. Deixa-te ir para um julgamento, deixa que as pessoas ponham a mão em ti e sintam tudo aquilo a que nunca te dedicaste.
Deixas passar mais uns meses seu inútil de barba esquisita? A culpa é tua e só tua e de novo sabes-lo bem.

1º Julgamento - Culpado de desperdiçar potencial.
2º Julgamento - Culpado de me desperdiçar a vida.
3º Julgamento - Culpado de desperdiçar a sua vida.
4º Julgamento - Culpado de adiar.
5º Julgamento - Culpado de achar que há mais tempo.
6º Julgamento - Culpado de ser burro que nem uma porta.
7º Julgamento - Culpado de não teres amado o que devias ter amado quando devias ter amado o que pensavas que deixavas de ter amado.



Pena - Deixa passar mais um pouco. O tempo vai-se encarregar de te mostrar a pena.

Fica sentado no meio do jardim que julga. Chega o Inverno e queima o frio. Não tens um braço onde te apoiar e cortaste as próprias pernas.

Não podes mais caminhar.


Que posso fazer?

Tenta andar nas tuas mãos... parado vais morrer ao frio.

Ok... é justo.

2 comentários:

Rosa Nobre disse...

sempre a parte animal de nós que nos força a caminhar - ainda que de encontro a um sítio pior.

era só para dizer que gosto do que escreveste. muito.

(desculpa, não tenho jeito para comentários)

Lovernios, o Raposo disse...

Todos temos o potencial para ser deuses... e quantos o são?

Desperdicar potencial é como a morte... inevitável.